Posted by: Halloween | June 12, 2007

Paradoxos

 

Aconteceu-me algo estranho no outro dia, enquanto regressava da confusão lisboeta para o meu “momento Zen” que é Aveiro, no IC das 5.

Reparei que na fila da frente alguém corrigia testes e não consegui evitar reparar que algum infeliz aluno teve umas oito ou nove questões erradas, num teste com uma boa dúzia delas (ao bom estilo do primeiro ciclo). Não era Matemática nem Português – sem gráficos, equações, poesia ou prosa – tinha mais o aspecto de um teste de Ciências da Natureza com bastantes escolhas múltiplas e três questões de desenvolvimento.

A verdade revelar-se-ía bastante mais estranha: era um teste de formação cristã de um externato (qualquer-coisa das “escravas (lol) do coração de jesus”). A minha formação agnóstico-científica começou a disparar em todas as direcções. Acompanhem-me por um momento e respondam em conjunto com a senhora professora, por favor:

 

 

– Quantas pessoas morreram à conta de divergências religiosas?

– O que acha a senhora professora de formação cristã das campanhas de desinformação da eficácia dos preservativos (e do planeamento familiar) da Igreja Católica em África (ex: Sudão), num continente onde são infectadas 3 milhões de pessoas por ano com SIDA?

– É mesmo necessário dedicar uma vida inteira à propagação da ignorância como estilo de vida? Não acham minimamente estúpido desprezar o conhecimento e o método científico e acreditar que as coisas acontecem apenas porque Deus deus assim o quis?

        No meio disto tudo, quem se ria era o shuffle do meu leitor de mp3 (que existe porque deus quis que eu ouvisse música), que me brindou com temas como Verdelet dos Akercocke, Slaying the Prophets Ov Isa dos Behemoth, Becoming Light dos Process of Guilt, The Serpentine Offering dos Dimmu Borgir, Satan’s Hunger dos Watain, Raining Blood dos Slayer e Phobos’ Synagogue dos Rotting Christ, entre outros. Nesta altura, a única coisa que me passava pela cabeça era mudar de lugar; sentar-me ao lado da senhora e muito simplesmente oferecer-lhe um earphone… se calhar acordava para a vida :p

 

PS: e para não me começarem já a chamar de satânico ou ateu: é igualmente idiota aquele que acredita que deus existe, como aquele que garante a pés juntos que ele não existe. É igualmente impossível provar qualquer teoria e, como tal, parem de perder o vosso tempo com essa merda.

Advertisements

Responses

  1. Oh meu (para começar bem) Deus (eu avisei), fabuloso. Não sabia que tinha em ti um adepto das minhas crenças. Se calhar é porque, de cada vez que as tento manifestar, quem as ouve ou demonstra fireza e enfado ou as rebate com argumentos à lá igreja católica (ex: “Não.”).

    Eu tembém tenho uma religião, e acho que sou o único seguidor da mesma. Divulgo-a a quem o quiser.

  2. Quantas vezes, durante o dia, penso: “Se Deus existe, que me dê um tiro agora mesmo.” Até agora, nada…


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: